segunda-feira, 28 de julho de 2014

Sobre o sono que trago comigo.


Há já alguns meses que não sei o que é dormir uma noite seguida. Quer dizer, há excepções. E as excepções ocorrem sempre que passo fins de semana em casa dos meus pais e em que, excepcionalmente, deixo que Baby Caco durma na minha cama. Caso contrário, o ritual nocturno lá por casa é mais ou menos este:
 
4h00 - Baby Caco acorda a chorar e a levantar os braços freneticamente em direcção à sala. Estes só baixam e os gritos só acalmam assim que percebe que me estou a dirigir à dita assoalhada.
 
Mal me assolapo no sofá, com ele ao colo, estende-se ao comprido e adormece. Às vezes em 15 minutos, outras vezes acha por bem ficar a par da programação infantil e senta-se alegremente com o comando em riste na minha direcção, a gritar sons como: "Hugghhhh!!! Huggghhhh!!" que, em linguagem de adulto, significa: "tens cinco segundos para meter aqueles desenhos animados dos ratinhos que andam com um relógio à roda e, atenção, que já passaram três!".
 
Então ali fico, à espera que adormeça. Depois, tenho de garantir que já entrou em sono profundo para que não acorde a meio do trajecto, a caminho do quarto, situação a evitar já que é pior a emenda que o soneto. Entretanto o dia nasce, vou para a cama e fico com o cérebro a pensar na forma mais rápida de adormecer e a contar os minutos que faltam para que o despertador toque.
 
Ora isto  é coisa para andar a dar comigo em louca, sendo que, apesar de estar 100% de acordo com esta opinião, mantendo-me firme e hirta a evitar trazê-lo para a nossa cama, não deixo de me questionar... E se este circo se mantém? Até quando é que vou continuar a resistir?  

13 comentários:

  1. Li esse artigo hoje. Sou totalmente de acordo.
    O meu filho acordava até 10x por noite só porque queria estar ao colo... Sabe bem eu sei. Mas a minha sanidade mental estava a evaporar...
    Decidi que não dava mais e hoje dorme a noite toda... Simplesmente chorou um pouco até que se cansou e adormeceu.... Até hoje tem dormido sempre bem e seguidinho.

    ResponderEliminar
  2. Deve ser uma fase tão complicada... eu, sem o meu sono de 8 horas, fico irritadiça.

    ResponderEliminar
  3. Também prefiro que ele não durma connosco e até agora não foi preciso. Mas no meu caso, se isso acontecesse e ele dormisse melhor comigo também não seria solução porque ele mexe-se imenso e eu não dormiria na mesma... às vezes durmo umas sestas com ele e o meu sono fica sempre leve, seria uma tortura passar uma noite inteira assim. Acho que preferia levantar-me mil vezes e voltar para uma cama sem ele do que não me levantar e nunca conseguir adormecer profundamente.

    ResponderEliminar
  4. A minha fila tem 23 meses e é igual! Quando acorda de noite só quer ir para a sala!! Nunca acendo as luzes, nem a televisão, mas acabo por levá-la, muitas vezes porque não quero se que ponha a berrar a horas impróprias durante muito tempo. Assim que me sento no sofá com ela ao colo, ferra-se a dormir! Aguardo uns 5 minutos e levo-a de volta para a cama dela...
    Não sei como se combate isto, sem passar pela tal sessão de berreiro a meio da noite, mas lá em casa já vão sendo muito esporádicas as noites assim...
    Olha, é esperar que melhore :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. P, disseste "23 meses" ????!!!!?? Cruz, credo!!.... Ainda faltam cinco meses para chegar lá....:-)

      Eliminar
  5. A maternidade trouxe-me noites bem diferentes das que eu tinha quando ela estava na minha barriga. Que saudades que tenho de ter uma noite seguidinha de sono bom e maravilhoso. Isso era mesmo dantes. Agora não. Eu gostava de dizer que custa no início, porque acho que custa sempre, uma pessoa não se habitua nunca a noites assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade, eu já não dormia desde o primeiro dia em que soube que ele existia. A ansiedade tirava-me o sono. Soubesse o que sei hoje e teria aproveitado para dormir o que não durmo agora :-)

      Eliminar
  6. Quando o V. fez 14 meses comecamos a ter problemas com o sono. Já farta de noites mal dormidas (nem mesmo quando nasceu tive noites assim) recorri à Carolina Albino que me ajudou a "controlar a fera". Era tudo uma questão de rotina e horários.

    ResponderEliminar
  7. O meu bebé grande faz 2 anos no próximo mês e sempre acordou 1 a 2 vezes por noite, mas ultimamente acorda apenas 1... pode ser às 4h, às 5h ou às 6h e normalmente a essa hora vinha para a nossa cama porque nem eu nem o Pai tínhamos capacidade para perder um minuto sequer do nosso sono. As regras são uma teoria bonita e na prática também, para quem tem estomago. Entretanto temos uma bebé pequena com 3 meses e agora, quando o bebé grande acorda, a cama dos pais está fora de questão para não acordar mana, então é o Pai que pincha para a cama do filho (já dorme numa cama das grandes) e, ou volta quando ele adormece, ou adormece também e por lá ficam os dois até de manhã. A única regra que existe nisto tudo é que ele adormeça sempre na cama dele. Já agora pergunto... e para adormecer, como é? É com um dos pais ou sozinho? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá STC,
      Sempre que o levava para adormecer no nosso quarto fazia um berreiro enorme e por isso, a forma mais fácil de o adormecer passou a ser na sala, de luz apagada, Faço o ritual de vestir o pijama, fazer o biberon e com as luzes apagadas normalmente adormece a seguir ao leite, no sofá da sala (só comigo). Quando já está a dormir, levo-o para a cama dele, que ainda está no nosso quarto. Talvez tenha sido este o erro, pois quando acorda só quer ir para a sala... nem sequer quer vir para a cama dos pais...A verdade é que tornou-se impossível conseguir que ele ficasse no nosso quarto até adormecer... Agora estamos a pensar comprar uma cama maior (onde eu também caiba) e levá-lo finalmente para o quarto dele. Obrigada pelo seu comentário!

      Eliminar

Deita cá para fora!