quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

O meu menino de amor.

 
Baby Caco fez dois anos e desconfio que podem passar mais duas décadas que vou continuar deslumbrada com este milagre da vida.

Não são poucos os dias que dou comigo a olhar para ele, a observá-lo sem que perceba que o estou a fazer, e a pensar comigo própria como é que tudo isto é possível. Sim, eu sei, é meio ridículo, mas é a mais pura das verdades.

Fico fascinada a analisar as reacções, a tentar perceber que personalidade terá. Se perde muito tempo a tentar colocar uma peça de um puzzle no sítio certo, fico a pensar que vai ser uma criança persistente, se, no minuto seguinte, desiste facilmente de alcançar a chupeta em cima da mesa, penso que afinal poderá ser impaciente. Dou comigo a absorver os seus comportamentos, as reacções, a imaginar a criança e depois o adulto que se tornará.

Não tenho espaço para um amor maior. Este menino tão pequeno e que já inunda toda a minha existência. O meu menino a quem encosto os lábios no pescoço à noite enquanto lhe dou o biberon; o meu menino a quem mordo os pés sempre que mudo uma fralda; o meu menino a quem beijo a boca sempre que adormece; o meu menino que me faz vibrar quando solta uma gargalhada ou quando franze a testa todas as vezes que insiste em comer limão. 
 
O meu menino que sorri eufórico, sempre que adivinho o que quer alcançar; o meu menino que se deita ao meu lado no tapete da sala e tenta imitar os movimentos quando faço flexões; o meu menino que me pede a mão para adormecer; o meu menino que se despede de mim à janela todas as manhãs; o meu menino que me morde as pernas todas as vezes que me vê nua e que gosta que o deixe passar creme com aquelas mãozinhas pequenas.  
 
O mesmo menino a quem sempre que dou a mão na rua, olho para o reflexo que fazemos nas montras só porque, dois anos depois, ainda preciso confirmar que tudo isto é verdade. O mesmo menino que estou a ver crescer incrédula e num deslumbramento eterno que parece não ter fim.
 
O meu Menino de Amor. 

18 comentários:

  1. A mais pura declaração de amor!

    ResponderEliminar
  2. oh que fofice!
    sempre me perguntei se a menina e o bebé do header és tu e baby Caco..

    ResponderEliminar
  3. <3 Piquenos cabrõezinhos que nos tiram o chão, hein?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E rebentam-nos o coração... Sacanas! :-)

      Eliminar
  4. Que lamechice maravilhosa de se ler. Tenho 4 e com todos eles me perco de amores; quando engravidei da segunda vez fiquei cheia de medo de não conseguir amar da mesma forma, pareci-me impossível, mas não foi. Hoje tenho o quarto também com dois anos e sinto o mesmo espanto, a mesma dimensão brutal deste amor sem tamanho. É mesmo bom, sacanas dos putos! E são boas as tuas partilhas, obrigada Mamã Caco. Abraço

    ResponderEliminar
  5. São o nosso coração fora da caixa!

    O nosso coração está neles e tudo o que lhes acontece, de bom e de mau, é dentro do nosso peito que se reflete. Que extraordinária capacidade de amar!

    ResponderEliminar
  6. Que texto maravilhoso. São mesmo "os nossos meninos de amor". o meu também tem 2 anos e tem sido a viagem mais mágica da minha vida.

    ResponderEliminar
  7. nunca tive um filho único e tenho três filhos e acho que às vezes tenho pena de não poder dedicar toda essa atenção a cada um deles... tenho sempre que repartir o meu tempo e às vezes falta o espaço para a contemplação... e logo eu que adoro pormenores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo-te tão bem, depois de me dedicar de alma e coração à primeira filha tive duas gémeas e senti exatamente o que referes... depois voltei a ficar grávida e só pedia que fosse só um. Também eu adoro pormenores e espaço para a contemplação... fica difícil mesmo.

      Eliminar
  8. o meu está com 4 e às vezes ainda me viro para o pai dele e pergunto também me pergunto como é que foi possível acontecer tal milagre, normalmente pergunto-o ao pai do milagre (é claro que ele não perde a oportunidade para me desafiar para uma demonstração real como resposta ahahahahahahahahahahahahah). Agora a sério, é um MILAGRE mesmo e também eu olho para o reflexo nas montras ou para a nossa sombra de mão dada com o mesmo espanto de sempre!

    ResponderEliminar
  9. Texto lindo, a mais pura realidade! Matam-nos de amor! Parabéns! Beijinho.

    ResponderEliminar
  10. <3
    parabéns ao Baby Caco.
    Parabéns à Missa Caco, mamã!
    Que lindo texto. Que bela declaração de amor.
    Eu sintoi esse deslumbramento todos os dias. E a incredulidade de todo este amor me caber dentro do coração.
    Um beijinho enorme*

    ResponderEliminar

Deita cá para fora!